sexta-feira, 6 de março de 2009

Você se conhece?

Achamos que sabemos de nossos limites, mas no fundo todos nós temos um lado sombrio, do qual fazemos o extremo para ignorar e fazer de conta que ele não nos pertence. Adoramos analisar com um olhar crítico às situações vividas pelas pessoas ao nosso redor e para julgá-las, basta que nosso cérebro processe a tal informação para logo irmos dando nossos palpites furados sobre a vida de alguém. E não me venha dizer que isto não acontece porque em alguma época de sua vida, você já pensou assim. É inerente do ser humano, é quase inevitável não solucionarmos os problemas dos outros fazendo de conta que aquela determinada situação já não nos foi sentida na pele.


Fácil é julgar, olhar de fora e ir tirando conclusões precipitadas. Mas volto a falar, quem não tem seu lado sombrio? Aquela pedra que incomoda no sapato? Aquele defeito que por menor que seja, acaba nos tirando o sono? Aquela situação que gostaríamos de mudar e não conseguimos? Eu admito, eu tenho. Pois sou humana e de nada me envergonho disto, aliás, isto mostra que estou viva.


Outro fator é que achamos que nos conhecemos a fundo, que nada! Pura ilusão! Ninguém conhece ninguém, o que pode acontecer é você conhecer o seu beabá, o seu corriqueiro, o seu cotidiano. Agora, lá no fundo ninguém sabe do que é capaz. Ninguém conhece outra pessoa a ponto de colocar a mão no fogo por ela, volto a dizer, isso é uma característica do ser humano e ponto. Fazer o quê?


Sábio é aceitar seus limites, reconhecer o que lhe incomoda, o que o deixa triste e aceitar que é um ser humano passivo de erros, acertos, medos, conflitos, dúvidas, problemas, ... pois posso garantir que não é somente na horta do vizinho que as plantas crescem com mais viso, por lá também cai chuva de pedra meu caro...

7 comentários:

Ana disse...

Me conheço cada vez melhor e cada vez me estresso menos!
Sou complacente com minhas dificuldades, meus defeitos...
Me aceito melhor, na medida em que fico mais velha - o que prova que tudo na vida tem um lado bom! Heheheh!

Beijo!

Beth/Lilás disse...

Querida, voltei! Obrigada pelos votos de boa viagem! Foram muito boas mesmo e tenho muito para contar, mas tenho o mesmo em roupas e coisas para arrumar, portanto estou passando para dar um alôzinho às amigas queridas da Net e dizer que assim que puder, estarei colocando fotos e contando sobre a viagem de navio.

Você continua uma de minhas amiguinhas prediletas do mundo dos blogs.

grande abraço saudoso carioca

Blog do Beagle disse...

Obrigada pelos cumprimentos deixados no blog da Ana. Gostei da sua postura quanto aos palpites na vida alheia. Sou mestra nisso! Bjkª. Elza

joão áquila disse...

é isso aí! é mais fácil ver um mosquitro no cabelo dos outros do que enchergar o elefante que carregamos

Beth/Lilás disse...

Renata,
Primeiro obrigada pelas palavras e votos!
Sobre este post, acrescento também que isto parece ser uma coisa que já nasce com os homens, como vc bem disse 'inerente do ser humano'.
Mas, com o tempo, aprendemos a controlar esta característica e ao envelhecermos o olhar torna-se mais complacente, entendedor ou piedoso.
Quantas coisas já fiz erradamente e hoje não posso criticar os mais jovens, tento me lembrar disso sempre, principalmente diante dos pequenos erros de meu filho.
beijinhos cariocas

Beth/Lilás disse...

Queridaaaaaaaaa!
Um beijo com cheirinho das flores de pessegueiro aqui de Washington.
Smacks!

Liziane Dotto disse...

acho que a simples pergunta, "quem sou eu" já demonstra preocupação em ser uma pessoa melhor... sinceramente? somos todos prisioneiros nesta terra! bjão!