terça-feira, 4 de novembro de 2008

Carlos Drummond de Andrade

Adoro ler Carlos Drummond de Andrade, seus textos trazem uma riqueza de sentimentos, ensinamentos para a nossa vida, ele consegue ir a fundo em nossas emoções...

Mais um texto deste escritor maravilhoso:


Reverência ao destino

Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente que expressem sua opinião.
Difícil é expressar por gestos e atitudes o que realmente queremos dizer, o quanto queremos dizer, antes que a pessoa se vá.

Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias.
Difícil é encontrar e refletir sobre os seus erros, ou tentar fazer diferente algo que já fez muito errado.

Fácil é ser colega, fazer companhia a alguém, dizer o que ele deseja ouvir.
Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre a verdade quando for preciso.E com confiança no que diz.

Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre esta situação.
Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer ou ter coragem pra fazer.

Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo o deixa irritado.
Difícil é expressar o seu amor a alguém que realmente te conhece, te respeita e te entende.E é assim que perdemos pessoas especiais.

Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar.
Difícil é mentir para o nosso coração.

Fácil é ver o que queremos enxergar.
Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto.Admitir que nos deixamos levar, mais uma vez, isso é difícil.

Fácil é dizer "oi" ou "como vai?"
Difícil é dizer "adeus", principalmente quando somos culpados pela partida de alguém de nossas vidas...

Fácil é abraçar, apertar as mãos, beijar de olhos fechados.
Difícil é sentir a energia que é transmitida.Aquela que toma conta do corpo como uma corrente elétrica quando tocamos a pessoa certa.

Fácil é querer ser amado.
Difícil é amar completamente só. Amar de verdade, sem ter medo de viver, sem ter medo do depois. Amar e se entregar, e aprender a dar valor somente a quem te ama.

Fácil é ouvir a música que toca.
Difícil é ouvir a sua consciência, acenando o tempo todo, mostrando nossas escolhas erradas.

Fácil é ditar regras.
Difícil é seguí-las.Ter a noção exata de nossas próprias vidas, ao invés de ter noção das vidas dos outros.

Fácil é perguntar o que deseja saber.
Difícil é estar preparado para escutar esta resposta ou querer entender a resposta.

Fácil é chorar ou sorrir quando der vontade.
Difícil é sorrir com vontade de chorar ou chorar de rir, de alegria.

Fácil é dar um beijo.
Difícil é entregar a alma, sinceramente, por inteiro.

Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida.
Difícil é entender que pouquíssimas delas vão te aceitar como você é e te fazer feliz por inteiro.

Fácil é ocupar um lugar na caderneta telefônica.
Difícil é ocupar o coração de alguém, saber que se é realmente amado.

Fácil é sonhar todas as noites.
Difícil é lutar por um sonho.

Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata.

7 comentários:

Morgana disse...

Oi Renata...eu sou a Morgana de Engenheiro Beltrao.Cidade perto de Maringa! Conheçe?
Intao achei seu Blog muito intersante..
Beijos.Visita o meu tah!

Renata Lopes Costa disse...

Oi Morgana! Não estou conseguindo acessar teu blog, me passa o link...visitarei com o maior prazer! Espero! Bjos!!

Gegé de Miranda disse...

Perfeito o texto! Tens muito bom gosto Rê! Drummond é um mestre e tanto! Beijão

Ynot Nosirrah disse...

Gostei de seu blog. Voltarei sempre que puder. Venha me visitar.

conscienciaacademica.blogspot.com

Flávia Fayet disse...

Fácil... Difícil... Lindo esse texto, não conhecia! Obrigada pela apresentação! Bjs

Beth/Lilás disse...

Quando conheci Drummond no pré-vestibular, lembro-me que fiquei tão encantada que vivia em bibliotecas pegando livro dele para ler em casa. Não estranhe, naquela época era normal ter bibliotecas nos bairros do Rio ou até mesmo nas escolas públicas.
Lia tudo que me caia nas mãos dele e uma noite, enquanto lia um poema seu meio sensual, meu pai entrou no quarto e mandou que eu fosse dormir e apagasse a luz, quis ver o livrinho e disse que eu estava proibida de ler aquelas baboseiras e que eram indecentes.
Imagina só, e não adiantou muito eu dizer que não era só aquilo o que ele escrevia.
Não liguei muito e continuei nas minhas leituras por poetas maravilhosos e que fizeram com que minha juventude fosse sustentada pela beleza e leveza do que há de melhor na vida. Acho que por isso, sou assim, alegre e vejo a vida e as coisas em volta, enquanto percebo pessoas até mais jovens que eu, mas que a falta de relação com a poesia, música ou qualquer outro tipo de arte, fazem-nas duras e sem graça.
Parabéns, por vc tão jovem ser assim tomada pela beleza da literatura!
bjs cariocas

Beth/Lilás disse...

Oi, querida!
Obrigada por assinar meu livro e já consertei lá o errinho.
Pode ficar à vontade para pegar a idéia, pois é assim mesmo na rede e entre nós, blogueiras interativas, inteligentes e charmosas. hahahha
bjs cariocas