sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Futuro remoto

Você já se imaginou velhinha? Não? Deve começar a refletir...
De uns dias prá cá comecei a pensar sobre este assunto, a me questionar sobre minha qualidade de vida, das coisas que faço hoje e que irão acarretar problemas futuros. Até a bem pouco tempo não me questionava sobre os alimentos, simplesmente escolhia-os conforme as minhas preferências, hoje não. Opto por alimentos saudáveis. As bolachas foram trocadas por frutas, os lanches noturnos por saladinhas, e sabem que até meu filho aderiu naturalmente estas mudanças? É verdade, ele é um anjo, come frutas, verduras e até alface ele manda ver.

Quero envelhecer com saúde, ser aquelas velhas com tudo em cima e com um espírito de criança. Deus me livre ter aquela imagem de vovó sabem? Cruz credo! Nada contra, até porque minha vó é assim e a amo incondicionalmente, porém, os tempos são outros, temos conhecimento das doenças, suas causas, origens e sabemos muito bem como prevení-las, coisas que há anos atrás eram desconhecidas.

Quero chegar a esta fase da vida com sabedoria para enxergar minhas rugas de forma natural, me sentir de bem comigo mesma, me sentir viva, acesa, disposta a lutar, a viver, a sonhar, a querer, a poder mais, olhando para trás e tendo a certeza de ter feito o que estivesse em minhas mãos e deixado o resto por conta do tempo.

4 comentários:

Beth/Lilás disse...

Isso é muito bom, principalmente quando conseguimos a adesão da família.
Devemos cuidar do nosso corpo primeiramente por dentro pois ele é o nosso verdadeiro templo de encontro com o Deus supremo.
O estereótipo acaba ficando maravilhoso, quando tratamos o nosso conteúdo.
Também tenho procurado fazer isso e acho que tem dado bons resultados, pois muita gente não acredita que já passei do meio século. hahha
beijão carioca

Flávia Fayet disse...

Humm, não é sou eu q estou mudando então Renatinha? Hj tava lendo uma reportagem na ZH sobre uma senhora que completou 100 anos, bebendo, fumando e comendo carne gorda! Pura sorte dessa centenária senhora! Não tenho a pretensão de ir tão longe, mas já estou me cuidando para chegar na casa dos 8o!. Bjs e um findi perfeito

Renata Miranda Ragagnin disse...

Hei... Me ensina como se faz para uma criança de 4 anos comer alface? Já tentei de tudo, até trouxinha de alface carregada de comidas biônicas de super-heróis e não desce na goela do vivente.

Certa vez ele estava com prisão de ventre e eu disse que era porque ele não comia alface, então o tempo passou e um belo dia meu marido me ligou de casa e disse:
- Amor, o Guilherme está no banheiro chorando e dizendo que quer alface, o que eu faço? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Ana disse...

Li e concordo: envelhecemos bem se continuamos a olhar para fora de nós! As pessoas, os outros, a TV, o noticiário, o jardim...
Mas se começamos a prestar atenção somente no nosso umbigo, na artrite, reumatismo, respiração, coração, etc... envelhecemos mal, carentes, enjoados e chatos!!
Eu, hein??
Quero ser uma velhinha antenadíssima e fofoqueira! Heheheh!